quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Transferência em Freud

A TRANSFERÊNCIA EM FREUD

Foi em 1912 que Freud publicou a primeira obra exclusivamente dedicada à transferência, denominada “A dinâmica da transferência”, na qual explica como a transferência é necessariamente ocasionada no tratamento psicanalítico e com ela exerce seu papel.

O autor explica que se a necessidade de amar de algum indivíduo não é totalmente satisfeita pela realidade, ele irá se aproximar de cada pessoa que conhecer inclusive o médico, com “idéias libidianais antecipadas” e que as peculiaridades da transferência para o médico se tornam compreensível” se tivermos em mente que a transferência foi precisamente estabelecida não apenas pelas idéias antecipadas, Conscientes, mas também por aquelas que foram retidas ou que são inconscientes” (1912b, p.112).

Em 1913, Freud havia definido a psicanálise como procedimento médico que tem em vista a cura de certas doenças nervosas (neuroses) por intermédio de uma técnica psicológica (1913j, p. 199). Ainda nesse artigo, Freud cita exemplos de distúrbios acessíveis ao tratamento psicanalítico, como as convulsões histéricas e as paralisias, e afirma que suas curas dependem da influência pessoal do médico, de uma maneira a qual ele ainda não havia explicado. Tal influência ocorrerá via aquilo que ele denomina de transferência, para caracterizar o tipo de relação que o paciente estabelece com o psicoterapeuta. Mais do que isto, a consideração da transferência é, para ele, um dos elementos chave para caracterização do que é o método de tratamento psicanalítico. Ao explicitar quais as variáveis básicas consideradas pela psicanálise, Freud enumerará: os processos psíquicos inconscientes, a resistência e a teoria da pressão, a sexualidade infantil e o complexo de Édipo (1923ª, p. 264).

Freud, S. A dinâmica da transferência. Obras Completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro:

Imago, v. XII, 1912 / 1989. Rejane

4 comentários:

  1. Respostas
    1. olá, estou de volta ao meu blog. Vamos compartilhar...

      Excluir
  2. Vc não podia abandonar esse blog assim! Tantos blogs sobre coisas idiotas por aí e uma proposta interessante assim fica jogada no lixo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou de volta, estou aqui pra compartilhar!!

      Excluir